segunda-feira, 3 de agosto de 2015

O Professor e Advogado Antônio Prestes do Nascimento, natural do Capão do Cipó, que mora em Porto Alegre e esteve em visita este município, inclusive, entrevistado na manhã de sábado pelo colega Vice-Prefeito Anselmo Cardoso, criticou, veementemente, o Banrisul, nesta manhã, que está oferecendo empréstimo aos servidores, a juros módicos. Segundo o Professor, o Estado parcela o salário e o mesmo Estado, através do Banrisul, financia o salário, ou seja, é o Estado, esse  Leviatã - Gigante adormecido, maltratando o servidor duas vezes. Sim, porque o financiamento, já se sabe, não será a juro zero. Quanta indecência, diz ele. Logo o Banrisul, tão conceituado, urubuzando, prevalecendo-se, data venia, da fraqueza do servidor ao utilizar a *Lei de Gerson*. Digam, por favor, se eu deliro ou se é verdade, tanto horror perante os céus... Minha solidariedade aos servidores do Estado, completou o criminalista... Ao final, o Advogado agradeceu a acolhida quando em visita ao nosso município, pedindo que este apresentador transmitisse, pelas ondas da cipoense FM, um fraternal e caloroso abraço.POSTADO POR RENATO SOUZA.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

DO NOVA PAUTA, POSTADO POR DENILSOM CORTEZ: Capão do Cipó - Na eleição passada Luiz Carlos Heinze fez 722 votos no município (37% dos válidos), o que levou seus eleitores a acreditarem que continuaria destinando emendas parlamentares, coisa que nunca tinha se negado a fazer. No entanto, causa estranheza que em 2014 e 2015 ele não tenha cadastrado nada para Capão do Cipó. Por que não está atendendo sequer os pedidos dos vereadores de seu partido? Ou eles também não pediram nada? Já tem gente dizendo que alguém teria orientado o deputado para que "esquecesse" Capão do Cipó por um tempo, pois se o município continuar com tantas obras e investimentos, ficará difícil para o PP buscar à prefeitura no ano que vem.  DO BLOGPAUFERRAÇO: É inacreditável que alguém foi pedir para o Deputado esquecer o município, se isso é verdade, com certeza tem gente não querendo o desenvolvimento do Município, pessoas com pobreza de espirito, que não enxerga a frente e só quer saber de seu nariz, mais isso é bom o povo saber e não votar “NELES”, que pelo poder, são capaz de impedir recursos para o desenvolvimento e o bem dos munícipes. Isso deve ser de pessoas vingativas, recalcados e calculistas....Cipoenses, olhem bem na hora de dar o seu voto: POSTADO POR RENATO SOUZA.

domingo, 14 de junho de 2015

ESTA É A DONA ODILA DORNELES,  NA FOTO COM LENÇO NA CABEÇA.
UMA EXÍMIA COZINHEIRA, GANHADORA DE VÁRIOS PRÊMIOS DE MELHOR COZINHEIRA, 8 ANOS DONA DE RESTAURANTE, O QUAL FOI DESTAK EM UNISTALDA. E NA SELEÇÃO PARA PREENCHER AS VAGAS DE COZINHEIRA PARA EM UNISTALDA. NÃO TEVE NEM UM PONTO. E EU PERGUNTO QUAIS OS CRITÉRIOS PARA A ESCOLHA?? OU FOI A FAMOSA PANELINHA, FAVOR OU ALGUM VOTO NOVO?? HÁ UNISTALDA, SEMPRE NA MESMA MARCHA, ESPERAMOS QUE UM DIA A JUSTIÇA SEJA FEITA, COMO A QUE TEVE AGORA, A ABSOLVIÇÃO DO MOISÉS. POSTADO POR RENATO SOUZA.

sábado, 13 de junho de 2015

  OS MORADORES DA TRAVESSA NESTOR MARTINS DE UNISTALDA, ESTÃO SE PERGUNTANDO, QUANDO VAI FICAR PRONTO O CALÇAMENTO, JÁ QUE A OBRA ESTÁ Á MAIS DE ANO E NADA, COMEÇA E PARA, QUEM PODE EXPLICAR??? POSTADO POR RENATO SOUZA.


quarta-feira, 10 de junho de 2015

 MOISÉS GONÇALVES DE ALMA LAVADA: E agora??  Depois de seis anos, finalmente hoje pela manhã, foi julgado a apelação impetrada pelo Dr. Paulo Roberto Cardoso Oliveira, recorrendo, da cassação do Ex-Prefeito de Unistalda Moisés Gonçalves, caçado, do Município de Unistalda. Em julgamento, o Moisés Gonçalves ganhou por 7 votos contra 0.  Tendo de volta os seus direitos políticos. POSTADO POR RENATO SOUZA.                                          


    DO BLOG: E depois de mais de 6 anos, quem vai pagar as despesas?   A imagem foi arranhada politicamente, e aqueles que outrora sorriram com a cassação, denegrindo a imagem de um cidadão que só o bem fez por Unistalda, fica a pergunta, Quem vai pagar???

terça-feira, 21 de abril de 2015

PDT-RS muda e agora é contra terceirização

Deputados federais da sigla dizem que irão votar para restringir proposta
Cherini diz que a questão não é ideológica | Foto: Lúcio Bernardo Jr / Câmara / CP
Cherini diz que a questão não é ideológica. A volta da Lei das Terceirizações para a pauta da Câmara dos Deputados, amanhã, promete uma nova rodada de polêmicas entre os pedetistas gaúchos. Os deputados já aprovaram o texto-base da proposta, mas precisam concluir a análise dos destaques e das emendas apresentados ao projeto. Após dois dos três deputados federais votarem a favor da lei que amplia a possibilidade terceirização nas empresas, lideranças do PDT gaúcho se revoltaram com a posição da bancada em Brasília. Agora, para as votações de amanhã, os três parlamentares pedetistas do RS dizem que irão restringir ao máximo a abrangência da lei.

O deputado Giovani Cherini garante que não mudou de opinião e quer esclarecer até onde pode se estender a atividade-meio. “Não é uma questão ideológica, é pela segurança dos trabalhadores que estão à mercê dessa regulamentação”. Segundo ele, as críticas deveriam ser encaminhadas ao Tribunal Superior do Trabalho. “Eles que criaram a lei, agora são contra.”

O pedetista Afonso Motta se diz sensível ao debate criado em torno do tema. “Fizemos esforço para que não entrasse na pauta, e votamos contra a urgência. Agora teremos posição bastante restritiva. Sabíamos das pressões que viriam”, declarou.

Para o deputado Pompeo de Mattos, presidente estadual do partido, o PDT teve coragem. “O primeiro voto que o PDT deu foi para desprecarizar os 12 milhões de trabalhadores terceirizados. E agora, na segunda rodada de votos, é para não permitir a precarização dos mais de 40 milhões formalizados. Não há trabalhadores mais importante que os outros”, afirmou, acusando a bancada petista de dar o “voto covarde” contra os trabalhadores terceirizados. “Demos a cara a tapa. Quem questionou, não entendeu, mas aos poucos vão compreender”, disse aos correligionários insatisfeitos.

quinta-feira, 19 de março de 2015

TRE mantém cassado ex-presidente da Assembleia Gilmar Sossela

Pedetista perde o mandato a partir da publicação do acórdão

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) manteve a cassação do mandato do deputado estadual e ex-presidente da Assembleia Legislativa Gilmar Sossella. A relatora, desembargadora Maria de Fátima Labarrère entendeu que houve captação ilícita de recursos para a campanha e abuso do poder político.
Sossela perde o mandato com a publicação do acórdão. A defesa do parlamentar vai tentar o efeito suspensivo da decisão até haver o julgamento de recurso, a ser protocolado no Tribunal Superior Eleitoral. A sentença também torna o deputado inelegível por oito anos e o obriga a pagar multa de R$ 10 mil.
O parlamentar foi acusado de utilizar o cargo de presidente da Assembleia Legislativa para pressionar servidores que detinham funções gratificadas a adquirir convite para evento de apoio à reeleição dele, no ano passado. A demissão de um funcionário que se recusou a comprar o ingresso foi um dos argumentos utilizados pela desembargadora para justificar a decisão.